22
Mar 12
Viver e Saber

Iniciou em São Paulo a suspensão do fornecimento de sacolas plásticas nos supermercados, com a alegação de que, visando a qualidade do meio ambiente não é mais possível continuar utilizando as mesmas para embalar compras.

Analisando pelo lado da sustentabilidade é impossível discordar da medida, uma vez que é do conhecimento de todos, que o grande volume de sacolas utilizadas, compromete, sem dúvida, o meio em que vivemos em função do tempo que leva este material para ser decomposto.

 

Para que o leitor tenha idéia da extensão do problema as sacolas plásticas demoram 400 anos para se decompor totalmente. 500 bilhões de sacolas são produzidas a cada ano. Isto significa 1,4 bilhão por dia ou um milhão por minuto. No Brasil um bilhão de sacolas são distribuídas nos supermercados a cada mês.

Por outro lado as sacolas se mostraram eficientes no transporte das compras realizadas nos supermercados, facilitando a vida dos consumidores. Muitas famílias utilizam as sacolas como sacos para colocar o lixo caseiro, proporcionando uma economia para as famílias, principalmente aquelas que tem baixa renda. Entretanto não se justifica sua utilização em função dos problemas que causa, necessitando urgentemente substituí-las por produtos biodegradáveis.

Elas causam um problema ambiental porque o destino acaba sendo os lixões, que poluem. Como o material leva muito tempo para ser decomposto impede que desapareça como acontece com o lixo orgânico, além de entupir esgotos, poluir rios e o mar, causando inúmeros problemas para a flora e a fauna.

Uma das soluções é a reciclagem. O Brasil possui uma indústria de reciclagem ociosa em mais de 30%. Novamente entra a educação da população para selecionar o lixo, para que possa seguir o caminho da reciclagem e também um descarte consciente, não jogando o lixo em qualquer lugar, que irá provocar alagamentos, destruição e morte.

A tecnologia existente, cada vez mais eficaz, pode encontrar outras soluções para o problema. A sugestão é que o meio acadêmico e a sociedade encontrem novas soluções, que devem passar por substituir as sacolas plásticas por outras que cumpram a mesma finalidade, distribuídas gratuitamente pelos supermercados e que não poluam o meio ambiente.

O desafio é educar a população, realizar campanhas educativas através dos meios de comunicação orientando no sentido de selecionar o lixo adequadamente, visando conseguir reciclar todo este material ou encontrar uma outra solução que não cause problemas maiores para os consumidores.

Ir para o mercado levando uma sacola de pano ou de outro material biodegradável pode ser uma solução, mas é preciso mais. Dê sua opinião e contribuição sobre este assunto.

Comentarios (1)

RSS Comentario Feed
sacolas plasticas
0
O acordo entre a APAS E GOVERNO foi feito aleatoria a apinião do consumidor. Aproveitando um tema do momento os empresarios do setor fizeram o tal acordo para extinção das sacolas, em passarão a cobrar o consumidores a embalagem retornavel ou biodegradavel. Oras srs, deixem de serem demagogos. Vcs estão preocupados é com a redução do gasto com as embalagens a trasferencia de custo ao consumidor aumento seus lucros. Em momento algum fizeram reduçao nos preços, ou aumentaram o salarios dos funcionarios e nem aboliram outras embalagens plasticas. Há quem querem enganar? oO incrivel é que o ´povo aceita passivel. Reaja povo.
pedro marcos de souza , abril 06, 2012

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.