30
Set 11
Imprimir
Viver e Saber

Nestes tempos modernos em que estamos vivendo é comum encontrar mulheres, em geral mais jovens e profissionais, dizerem que não gostam e não sabem cozinhar. Muitas, ainda, exaltam o fato de terem maridos habilidosos que cozinham muito bem.

Isto é uma verdade. Os homens descobriram o gosto pela culinária e já é grande o contingente daqueles que estão se tornando mestres no manejo dos alimentos.

São criativos, rápidos e detalhistas na preparação de um prato e trabalham organizados, com muita limpeza na cozinha e demonstrando que atuam com alegria e muito prazer.

Ora, se sentem-se felizes, isto é o que importa, pois o que traz felicidade traz saúde.

Lembro que tempos atrás homens não diziam em público que cozinhavam, principalmente no sul do Pais onde o machismo imperava. Muitas senhoras de padrão social elevado, também faziam questão de frisar que sabiam mandar mas não fazer.

Nos dias de hoje é considerado elegante preparar uma boa refeição e convidar um grupo seleto de amigos para saboreá-la. Homens e mulheres mostram seus dotes culinários e aguardam ansiosamente o veredicto final.

Hoje os profissionais do ramo, altamente preparados e conhecedores profundos da arte de cozinhar são disputados no mercado, pois esta especialização, além de dar “status” remunera muito bem

Mas o que é importante é o bem estar e a alegria que sentem, principalmente os amadores, quando se isolam numa cozinha e criam novos pratos. Esquecem os aborrecimentos, tanto pessoais como profissionais, o que faz muito bem, para o corpo e a mente.

Por isso é bom ter cuidado ao falar em público que não gosta e não sabe cozinhar, porque fatalmente a sua volta estarão muitos apaixonados pela atividade. Para eles isto significa estar desligada da realidade.

O prazer de preparar um prato para os amigos e pessoas que ama é incomensurável. Saborear este prato e repetir proporciona enorme alegria, pois representa o prêmio recebido pelo tempo dedicado ao preparo.

Para demonstrar o apreço aos leitores transcrevo uma pequena e singela receita, que cai muito bem como acompanhamento ou até mesmo como entrada junto com uma torradinha, que foi batizada como:

Mix de pimentões:

Um pimentão verde, um amarelo e um vermelho fatiados sem sementes.

Uma berinjela fatiada fina

Duas abobrinhas fatiadas finas

Champion a sua escolha fatiados finos

Escolha guisado de gado, de galinha ou filé de atum natural já cozidos. O que preferir .

Molho de tomate.

Preparo:

Refogue em primeiro lugar os pimentões, no azeite de oliva. Use temperos a gosto. Quando sentir que estão amolecendo misture os demais ingredientes e o molho de tomate e deixe cozinhar até estarem macios, sem desmanchar. Pode ser usado em canapés, entradas ou complemento de pratos de carne com arroz.

Bom proveito.