14
Ago 11
Viver e Saber

A Classe dos professores é sem dúvida alguma, uma das mais importantes para um Pais. São eles responsáveis pela formação dos jovens e por isso mesmo considerados os esteios da educação.

 

A importância da profissão não vem acompanhada das condições ideais para que ele se desenvolva e aprimore os conhecimentos recebidos na Universidade. Assim como no mercado é exigido treinamento e capacitação permanente dos executivos e funcionários, porque o mesmo não acontece com os professores?

Por que as próprias escolas não promovem cursos especiais ou palestras onde possam ser levados novos conhecimentos ou até mesmo experiências de profissionais de outras áreas que possam situá-los no contexto de modernismo que vigora no mundo?

Se isto é feito nas empresas, não seria oportuno lançar um programa que atendesse esta necessidade?

Há um entendimento de que isto é importante e necessário, pois os custos impedem que os próprios professores participem de palestras e encontros realizados no mercado e que poderiam contribuir para o aprimoramento dos conhecimentos, que não podem mais ficar restritos aos conteúdos didáticos.

Um professor precisa acompanhar o desenvolvimento tecnológico que ocorre no mundo e se atualizar constantemente com os rumos que o mundo toma para o futuro. É preciso romper com paradigmas e buscar alternativas que agradem aos alunos e faça com que eles sintam prazer em assistir uma aula. Para isso o professor precisa se modernizar com tudo que existe para tornar o ensino eficaz.

Muitos conteúdos vem sendo repetidos ao longo dos anos e com os mesmos professores que, ano após ano, retornam as aulas sem nenhuma novidade, porque entendem que é outra turma e podem repetir o que disseram no ano anterior.

Isto faz com que os alunos vivendo hoje a realidade tecnológica, com uma habilidade surpreendente para lidar com os instrumentos a disposição no mercado, tenham que ficar parados durante horas ouvindo o professor falar o tempo todo. É o mesmo tipo de ensino que qualquer pai ou avô viveu no passado.

Como então gostar de uma aula?

O mundo mudou. O presente e o futuro exigem inovação. As novas gerações conhecem mais a tecnologia moderna do que muitos professores.

O que será necessário fazer para que haja um entendimento e um interesse pelas aulas? A resposta é simples.

Precisa haver interatividade total entre professores e alunos. Por que não trocar?

Será que o professor não pode explorar, no bom sentido, o conhecimento que já vem com o aluno? Não seria mais inteligente dar uma aula identificando ou utilizando o conhecimento dele para repassar o conteúdo necessário?

Será que utilizar a pesquisa na Internet, no dia a dia em aula, não favoreceria o aprendizado e envolveria os alunos na busca do conhecimento?

Estas questões precisam ser respondidas e os professores precisam repensar a sua atividade. Inovar, ousar, ter atitude são as palavras de ordem do momento. Não devem ser desprezadas.

Comentarios (1)

RSS Comentario Feed
Auto- capacitação
0
A auto-capacitação faz bem, e não engorda.

Wlady , outubro 15, 2012

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.