14
Mai 13
Viver e Saber

 

Há um ditado popular que diz: “Você será um idoso como o jovem que foi”. Se na juventude você era alegre, extrovertido, ousado, o mesmo continuará acontecendo durante sua vida , incluindo a chamada melhor idade.

Do contrário se você era introvertido, com dificuldades de se relacionar, com um alto nível de exigência e intolerância com familiares e amigos e principalmente dependente dos demais, assim será também na terceira idade.

Por esses motivos é que muitos idosos tem uma vida tranqüila quando chegam a idade avançada e ficam sozinhos e outros vivem inconformados com a situação, se queixando permanentemente, alegando solidão e problemas de saúde de toda a ordem.

 

 

Para estes é necessário muito mais apoio, carinho e paciência, pois é comum ver os familiares cansados e estressados, pois são exigidos em tempo integral, com queixas sobre doenças ou dores, muitas de fundo emocional e exigência de atenção permanente, o que acaba esgotando aqueles que convivem com eles.

Como aqueles que viverem mais tempo, chegando na velhice, seguirão um destes caminhos, é preciso refletir sobre isso e se preparar para viver da melhor maneira possível este período, corrigindo desde cedo os pequenos defeitos que sabe que tem, para não tornar difícil a vida dos familiares.

Todos sabem que precisarão cuidar de seus entes queridos na velhice, porque um dia também serão cuidados. Precisarão ter muita paciência, mesmo que isso custe horas de dedicação e até mesmo algum sacrifício.

Ninguém pode esquecer que, quando eles criaram seus filhos tiveram toda a paciência e cuidados necessários para que eles se desenvolvessem da melhor forma possível. Na velhice chega a hora de devolver aquilo que receberam.

É agradável ver idosos felizes, independentes, ousados, fazendo coisas que surpreendem os familiares, principalmente os jovens. São modernos, apesar da idade, não se escandalizam com nada. Viajam, fazem passeios, se alegram com os filhos e netos, conversam animadamente com vizinhos ou amigos e estão sempre em alto astral. A velhice para eles não é um problema.

Para aqueles que por problemas de saúde, sejam físicos ou emocionais, ou temperamento difícil, se enclausuram esperando o tempo passar, a vida pode ser um tormento. Muitos já não tem amigos para visitar ou conversar. Não despertam o interesse de familiares, porque só sabem se queixar e só exigem atenção.

Por isso é importante. a partir dos sessenta anos. entender a nova fase de vida, buscando alternativas de acordo com a sua idade. Muitas coisas podem ser feitas, cada um explorando as suas potencialidades. O importante é não parar e viver recluso da vida, sem ter o que fazer e com quem compartilhar.

Fazer pequenas caminhadas, conversar com pessoas alegremente, comentando as notícias do dia, lendo um livro ou revistas com fotos de pessoas bem sucedidas, praticando aquilo que sempre tiveram vontade de fazer e não puderam pela falta de tempo. Tudo dentro dos limites da sua idade, sem se violentar fazendo coisas que não tem mais condições e que podem trazer novos problemas.

Viver sozinho só é problema para quem não aceita a fase de vida em que está vivendo. Aceitar a idade e seus limites é fundamental para viver bem. Entender que pode ser independente, mesmo com a idade é muito importante, porque os familiares tem prazer em estar por perto e levá-los aonde forem.

Pensar na velhice é algo que todos devem exercitar a partir de determinada idade, porque é um caminho que leva a ela, até mesmo porque todos querem ter um longa vida.

.

 

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.