19
Mar 13
Viver e Saber

 

Não surpreende mais ninguém a deficiência do ensino na grande maioria das escolas brasileiras, cuja origem está na capacitação dos professores, na falta de disciplina, que permite que os jovens usem e abusem da liberdade em sala de aula e na omissão de muitos pais que criam seus filhos sem limites.

Como tudo na vida, o que não é bem feito logo aparece, a prova de português do ENEM revela as deficiências na formação dos jovens na língua pátria, onde erros grosseiros de grafia revelam a pouca importância dada a escrita.

Não é apenas no ensino de português que se encontra as fragilidades do ensino no Brasil. Em diversas outras atividades se percebe que tudo é nivelado por baixo, com pouca ou nenhuma exigência, fazendo com que qualquer indivíduo entenda que pode fazer o quiser, do jeito que fizer e ninguém tem nada a ver com isso.

 

 

A idéia predominante é que tudo está certo, mesmo pequenas transgressões que em outros tempos jamais aconteceriam, principalmente nas escolas, onde professores eram respeitados e admirados, pois dependia dele a formação e o crescimento pessoal de cada estudante.

Hoje, existem muitos professores que fazem cursos de Pós graduação, Mestrado, e doutorado, mas infelizmente não tem liderança para conduzir uma turma em sala de aula, ou pouco conhecimento de comportamento, indispensável para lidar com jovens da era eletrônica, bem informados, por um lado, mas totalmente descompromissados com a importância da formação em sala de aula.

O uso da autoridade, por parte de alguns professores, também não resolve o problema de comportamento em sala de aula e muito menos o aprendizado, tão necessário para que aprendam no mínimo a escrever corretamente.

Radicalizar com suspensão e expulsão só agrava o problema. Não se deve usar medidas drásticas quando se fala em formação de jovens. Estas, devem ser utilizadas em casos excepcionais, quando todas as demais já foram praticadas.

Os erros que apareceram e que estão sendo divulgados pelos meios de comunicação não podem ser aceitos como normais. Se o conteúdo, que demonstre a clareza e mostre que o aluno conseguiu entender o assunto, redigindo bem é vital, não menos importante é conhecer a gramática e as regras de acentuação e pontuação que caracterizam o conhecimento da língua.

A divulgação dos erros é importante para alertar, escolas, professores, pais e alunos do quanto precisamos melhorar. Assim como nas empresas, analisar os pontos fortes e fracos é necessário e fundamental, para as escolas não deve ser diferente.

Identificar o problema e resolver é uma atitude inteligente, que precisa ser trabalhada no dia a dia das escolas, que devem ter normas claras, não só no aspecto didático, mas também comportamental, não permitindo indisciplina que atrapalha o desenvolvimento escolar.

Estabelecer um programa de entrevistas individuais com cada aluno, identificando suas necessidades, seus limites e seus problemas, pode ser um caminho, para interagir com eles e conquistar os resultados desejados.

 

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.