16
Mar 13
Viver e Saber

 

A falta de limites na criação dos filhos e o pouco interesse de muitos pais, que priorizam o trabalho e outras atividades, incluindo as recreativas e sociais, em vez de dedicação total na educação, permitem que as crianças cresçam sem saber o que é respeito, formando indivíduos mal educados para a vida.

As primeiras conseqüências aparecem quando iniciam as aulas, fazendo com que professores tenham que suportar um grupo de crianças, vindas de diferentes tipos de criação, muitas, sem a menor noção de respeito e entendimento do porquê estão na escola.

 

Os pais tem obrigação de educar seus filhos e não permitir que outros assumam este papel. Não é função da escola e muito menos dos professores, cuja tarefa é mostrar o caminho, formar para a vida e despertar para o saber, ter que ensinar aquilo que os pais já deveriam ter ensinado, desde os primeiros meses de vida.

Os pais de antigamente eram mestres na criação de seus filhos. Dificilmente se ouvia um professor ter que reclamar do comportamento dos filhos na escola. Eram exceções os casos de alunos que criavam problemas na escola.

Hoje, ao contrário, aqueles que se mostram educados são a exceção e são impedidos de assistir uma boa aula, pela baderna produzida por jovens mal educados, que não respeitam os professores em sala de aula e não estão comprometidos com o aprendizado, tão importante para a sua formação.

Com isto, um número expressivo de professores, não só de escolas públicas, mas também de escolas privadas, cujos alunos pertencem a famílias com boa renda familiar e portanto jovens com suas necessidades muito bem supridas, suportam situações difíceis, por não serem atendidos em sala de aula, quando pedem silêncio e atenção para alunos que só querem conversar, usar aparelhos eletrônicos e demonstrar o desinteresse total pela aula que precisa ser dada.

A conseqüência disso é que professores saem da aula esgotados, sem ter o prazer de sentir, que conseguiram dar uma boa aula, não por dificuldades suas, que eles procuram superar sempre com novos conhecimentos e novas metodologias, mas pela falta de educação que deveria vir de casa e falta de respeito para com os professores.

Pais e professores precisam andar juntos, pois ambos tem responsabilidade enorme na formação dos jovens, mas é preciso ficar bem claro o papel de cada um. Aos pais compete criar e dar educação familiar, com respeito aos mais velhos, incluindo avós, tios, amigos e principalmente os professores.

Aos professores compete despertar nos alunos o interesse pelo conhecimento, indispensável para o sucesso profissional. Para isso precisam ser ouvidos em sala de aula, estar atualizados, não só na sua formação acadêmica, mas entendendo as mudanças da sociedade e o comportamento humano, visando atingir a mente e o coração dos jovens, transformando-os em homens e mulheres honestos, dignos, solidários e principalmente comprometidos com o bem comum.

Os pais, que sabem que tem filhos com problemas na vida e na escola, precisam agir para ajudar a mudar atitudes inconvenientes de seus filhos, que perturbam em sala de aula. Cabe aos pais impedir que abusem da liberdade que lhes é dada e tenham comprometimento com os estudos.

Exijam respeito, não só em casa, mas principalmente no meio em que estiverem, seja na escola ou no lazer. Não existe nenhuma relação que perdure, quando não há respeito, de um para com o outro.

As crianças são seres em formação, que precisam de cuidados, de orientação e de muito amor. Pais e professores precisam estar unidos nesta missão, que deve ter como premissa o objetivo maior, que é juntos educar para a vida, formando pessoas de reconhecido valor.

 

Comentarios (1)

RSS Comentario Feed
...
0
amei o que vc falou em relaçao aos pais que deixam seus filhos para os professores cuidarem enquantos a obrigaçao deles e educar e da amor enquanto nos professores cuidamos do profissional deles
mayara de sousa mendes freitas , setembro 24, 2014

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.