24
Fev 13
Viver e Saber

 

A maioria das pessoas que tem insônia responderão que sim, pois dormir menos tempo do que o organismo exige, traz conseqüências para a saúde e dificuldades para enfrentar um dia de trabalho, fazendo com que a produtividade diminua.

Estudos realizados no Reino Unido com 11 mil pessoas revelou que aproximadamente metade dos habitantes apresentam problemas para dormir.Na cidade de São Paulo, 35% da população reclamam de insônia. Esta media se estende para todo o Pais. Estima-se que 1/3 da população tem ou terá insônia algum dia.

 

As conseqüências da insônia para a vida das pessoas são: irritabilidade, fadiga, perda da memória e da concentração, que abrem caminho para depressão, infecções e doenças cardíacas.

Principalmente a irritabilidade, a fadiga e a pouca paciência influem decisivamente no ambiente de trabalho entre os colegas tomando proporções significativas, quando vem de níveis gerencias e ou de diretores.

Estudos mostram que nas diferentes faixas de idade a média de horas de sono que são necessárias para garantir boa saúde e alta produtividade é de:

· 15 horas para um bebê.

· 10 horas para uma criança.

· 09 horas para um adolescente.

· 08 horas para um adulto.

· 05 horas para um idoso.

Segundo a médica, Dalva Poyares do Instituto do Sono de São Paulo, hoje existe um novo conceito de que “ o insone é aquele que vive insatisfeito com o seu sono. Esta dificuldade é fruto de um estado de hiper alerta na hora de dormir”.

Isto reflete o estado em que vivem as pessoas acometidas pela insônia que vivem insatisfeitas com elas mesmas, buscando entender o porquê de viverem nesta situação. Perdem a alegria e a espontaneidade, porque não tem disposição para enfrentar os desafios diários, tanto na vida pessoal quanto no trabalho.

Pessoas de ambos os sexos são acometidas pela insônia, porém a maior incidência é no sexo feminino e mais acentuado durante a menopausa. Ficam melancólicas, sem vontade para dialogar com os demais, pois poucas coisas as motivam.

Muitos se perguntam o porquê deste transtorno. Muitos especialistas atribuem ao estresse crônico, a vida agitada e também nas desordens que eles desencadeiam. A preocupação com o fato em si pode aumentar o problema.

Especialistas invocam o advento da luz elétrica, após a Revolução Industrial que criaram as jornadas noturnas de trabalho e mais recentemente a revolução digital e a Internet, que fazem com que, mais e mais pessoas fiquem conectadas, dormindo menos.

É importante que as pessoas se dêem conta de que dormir é importante para ter uma vida saudável. O ato de dormir exige alguns cuidados como manter a cama limpa e bem arrumada, sem aparelhos elétricos no quarto e se possível pouca luz na hora do recolhimento e luz apagada para dormir.

Também é importante criar o hábito de relaxar a noite com uma música suave, sem o consumo de álcool, sem discussões entre amigos ou familiares. É preciso afastar tudo que cause agitação a partir das 20 horas, preparando a mente para relaxar e dormir tranquilamente.

Nossa mente se organiza quando nos organizamos. Por isso estabeleça horário para dormir e acordar. Os resultados são significativos para quem toma este cuidado.

Em qualquer das situações, principalmente naquelas em que o problema se torna freqüente, consulte um médico especialista em doenças do sono. É o profissional indicado para ajudar a eliminar ou minorar o desconforto que ele causa.

Não deixe que a insônia impeça a sua produtividade no trabalho, pois isto o impedirá de ser reconhecido como um profissional dinâmico, capaz e indispensável para a empresa que trabalha.

 

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.