14
Fev 13
Viver e Saber

1 - Não gastar mais do que ganha;

2 - Manter uma planilha de gastos mensais.

3 - Reservar o que for possível para a poupança;

4 - Saber usar o cartão de crédito.

5 - Não fazer prestações, que comprometam seu salário.

Planejar é indispensável para organizar, tanto a vida pessoal quanto a atividade profissional visando obter sucesso nos negócios. Planejar é se antecipar aos fatos, definindo o que fazer, como fazer, quando fazer e quanto de recursos financeiros serão necessários.

 

O planejamento deve fazer parte da vida das pessoas, pois ele delimita o que pode e deve ser feito, tendo como base as receitas e despesas pessoais e familiares, mantendo o equilíbrio financeiro indispensável para uma vida tranqüila.

Na prática é preciso que as famílias conversem mais sobre a administração doméstica, estabelecendo critérios de gastos e uso dos recursos financeiros disponíveis.

É comum ver pessoas e famílias inteiras, que não dispõe de nenhum recurso na poupança. Gastam tudo o que ganham, esquecendo que uma adversidade pode acontecer.

Muitos alegam que ganham pouco e não sobra nada para guardar. Este argumento cai por terra, diante de famílias, muito simples, mas que por disciplina pessoal, sempre tem algum valor guardado para uma necessidade.

A razão para que as famílias não façam poupança está ligada a cultura do brasileiro, que tem uma compulsão para comprar. Mesmo famílias carentes usam, em datas especiais, tudo o que ganham comprando presentes e coisas que poderiam ser dispensáveis.

O resultado é que passam o ano inteiro pagando prestações sem poder fazer mais nada, incluindo as coisas necessárias e indispensáveis para manter a tranqüilidade familiar, gerando inquietações e desentendimentos.

Para planejar é preciso estabelecer critérios rígidos que não sejam ignorados, pois também não adianta fazer um planejamento de despesas e não mudar o comportamento pessoal, ignorando o que foi estabelecido.

O controle faz parte de um bom planejamento. É preciso que no final de cada mês, seja analisado o que foi comprometido, para verificar se as decisões tomadas durante o mês foram corretas e atenderam o que estava planejado.

Sempre é possível corrigir rotas restabelecendo o comprometimento inicial, caso ele tenha sido esquecido. O que importa é a disciplina pessoal e familiar, diante das tentações, que existem e que são difíceis de ignorar.

Os pais, que ensinarem aos seus filhos, desde muito cedo, que o dinheiro precisa ser respeitado e controlado, mostrando que precisa haver controle de gastos para haver investimentos e poupança, estarão ajudando na felicidade futura deles, uma vez que nada faltará.

Viver dentro dos limites de seus ganhos, sem ostentação e sem querer competir com o vizinho, faz com que a vida seja muito melhor. Para ser feliz não precisa ter o que o outro tem e sim aquilo que supre as necessidades de cada um.

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.