05
Fev 13
Viver e Saber

 

Em alguns estados do País, são acentuadas as dificuldades para ser recebido por um executivo de empresa, como se eles não pudessem ser perturbados por pessoas de fora, pressupondo que já sabem o que será falado.

Ao se negarem a receber e ouvir o que outros querem lhe dizer, deixam de saber coisas, que poderiam contribuir com seu trabalho ou na pior das hipóteses ampliar seus relacionamentos.

 

As desculpas mais comuns são sempre as mesmas como: Estão em reunião, estarão em viagens ou recomendam falar com um assessor. Em princípio não há problema em falar com outra pessoa, desde que ela tenha poder de decisão também.

Com freqüência os executivos delegam para assessores a tarefa de receber pessoas que nem sempre estão a altura do assunto que será abordado e muito menos, tem condições de reproduzir com fidelidade o que ouvirem. São pessoas despreparadas e que acabam causando um péssima imagem do executivo e da empresa.

São empresas voltadas para dentro, onde todos estão sempre ocupados e não tem interesse em ouvir o que vem de fora. Não priorizam os contatos externos deixando de saber e receber idéias importantes.

Ignoram que a pessoa que está solicitando um encontro, também é um profissional fazendo o seu trabalho. É um direito do profissional poder expor suas idéias e seus produtos, visando desenvolver seu negócio.

Outro problema que tem sido recorrente é a falta de resposta. Isto revela desorganização da empresa e também a ausência de uma área de comunicação com os diversos públicos da empresa, o que demonstra que não há preocupação com a imagem da organização.

É tão simples e fácil resolver estes problemas, que surpreende que empresas de porte não se preocupem com isso. Preferem deixar pessoas com uma impressão muito ruim de seu atendimento.

É comum ver executivos socializando internamente e se negando a receber pessoas. Deixam de receber informações de mercado, coisa que sempre acontece quando se recebe pessoas de fora. Todos tem sempre informações diferentes e importantes, que podem contribuir para tomadas de decisão.

Grandes empresas criam setores especializados em atender solicitações ou sugestões, mas de forma mecanizada, ou mesmo como robôs, pois não sabem atender bem e também causam má impressão.

É preciso rever posições. Para isso uma área competente de comunicação pode eliminar todos estes problemas. Pessoas com formação adequada e com orientação precisa para detectar o que é importante para a empresa e encaminhar a quem de direito, para prestigiar o solicitante e deixar que ele exponha suas razões a quem tem o poder de decisão.

Esta consciência já existe em São Paulo, onde o profissionalismo impera e por isso mesmo é o maior estado do Brasil, diferentemente do Rio Grande do Sul, que tem o hábito de atender somente quando o pedido de reunião é solicitado por um amigo.

É difícil fazer contatos com executivos ou mesmo marcar visitas, o que dificulta o trabalho de vendas. Parece que as empresas esquecem que também tem seu pessoal de vendas que precisa ser recebido por outras pessoas ou empresas. Ela quer fazer boas visitas mas cria dificuldade para receber em sua casa.

Não se deve ignorar pessoas ou deixar de responder quando receber uma solicitação. É uma demonstração de arrogância, achar que por ter um cargo que na maioria dos casos é passageiro, pode se enjaular numa sala e se negar a ouvir o que os outros tem a dizer.

Vamos refletir sobre isso e voltar a ser acessíveis, como manda a boa educação.

 

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.