13
Dez 12
Viver e Saber

 

Há uma discriminação velada, de muitos professores, com alunos que apresentam dificuldades em sala de aula, tanto na compreensão dos conteúdos quanto nas provas de avaliação. Preferem ignorá-los, quando deveriam redobrar os cuidados, pois estes são os que realmente precisam da atenção e do carinho de um professor.

Todas as crianças tem potencial para aprender, desde que encontre as condições necessárias de acordo com seu estágio de vida, de maturidade pessoal de acordo com a idade que tem e principalmente a compreensão de professores dedicados.

 

A frieza nas relações pessoais atinge muitos professores, que não querem nenhum envolvimento com os alunos, preferindo uma postura fria e distante, como se não tivesse nenhuma obrigação com aquele ser que depende de seus ensinamentos para construir seu futuro.

O pior, é que muitas escolas determinam que seja assim. Isto pode ser observado na blindagem que é feita em torno dos professores, quando estes deveriam estar permanentemente dialogando com os pais para encontrar o caminho certo para ajudar aqueles que apresentam dificuldades.

Países desenvolvidos e que ocupam os primeiros lugares nas avaliações internacionais, como na Finlândia dedicam especial atenção aos alunos que não conseguem acompanhar os demais, passando a dar acompanhamento especial e atenção redobrada, para que estes atinjam o mesmo estágio.

Isto acontece porque, naquele País, foi dado especial atenção a formação de professores. Eles estão capacitados para entender as dificuldades dos alunos e encontrar a solução, que muitas vezes não está ligada a fatores cognitivos e sim por problemas emocionais que atingem milhões de alunos.

No Brasil, isto está muito distante, porque infelizmente temos uma classe esquecida, desvalorizada, que luta para sobreviver com baixos salários e dificuldades para manter um padrão de vida, que lhe permita trabalhar com tranqüilidade.

Como se preocupar em dar atenção aos filhos dos outros, quando as dificuldades pessoais falam mais alto?

Realmente é difícil. As preocupações financeiras impedem que muitos professores tenham a tranqüilidade necessária para dar atenção especial aos alunos com dificuldades. Preferem aqueles que são privilegiados por uma inteligência brilhante. Estes não dão trabalho.

Ignoram os demais e vão em frente. Esquecem que os pais, que sabem das dificuldades de seus filhos e esperam uma atenção especial para eles, estão em casa apreensivos, pois desejam que seus filhos encontrem em seus mestres a solução de suas dificuldades.

Como isto dificilmente acontece, a frustração e um sentimento de tristeza toma conta ao ver seus filhos ignorados e sendo tratados como incompetentes.

Muitos exemplos positivos vem acontecendo pelo Brasil afora e divulgados pela televisão mostrando professores, que através do amor a seus alunos mudaram situações problemáticas, como na matemática, que deixou de ser um bicho papão.

Estes exemplos mostram que é possível sim atingir um nível de qualificação dos alunos, desde que, além do conhecimento exista afeto e desejo de mudar. Conhecimento aliado a compreensão e carinho formam cidadãos com atitudes positivas com os demais, capazes de melhorar o mundo em que vivemos.

Frieza e incompreensão formam indivíduos ressentidos, desprovidos de compaixão e amor ao próximo. É preciso mudar e formar indivíduos com valores morais fortes mostrando que a compreensão e o amor ao próximo é a grande missão de um grande professor.

 

Comentarios (1)

RSS Comentario Feed
alunos com dificuldades, não recebem atenção que merecem.
0
foi exatamente assim que me senti, sentimentos de tristeza e frustação por ver minha filha ser ignorada nas suas dificuldades, pela professora e pela escola e o que mais me chocou foi que a escola é adventista.
mara oliveira , julho 27, 2013

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.