12
Dez 12
Viver e Saber

 

Nenhuma data é tão importante para o comércio, quanto o Natal. É a oportunidade para melhorar resultados, após um ano de muito trabalho, e ao mesmo tempo poder comemorar, com familiares e amigos, esta data tão significativa para a Humanidade.

Os lojistas investem em produtos e decorações que atraem os consumidores, que por iniciativa própria já estão e agendados para realizar as compras de fim de ano.

 

Todos sentem grande alegria em presentear os seus familiares e amigos, pois esta é uma forma de demonstrar o carinho e sentimentos escondidos pela dificuldades que o ser humano tem de externar o que sente pelos outros.

Se este gesto traz satisfação pessoal, já está justificado, mas não esqueçam de que nada substitui um abraço, uma palavra gentil e verdadeira e principalmente a capacidade de ser bom e se doar aos demais.

Quando o ser humano entender que a felicidade pessoal está ligada a pequenos gestos de bondade, de atenção e de amor a seus semelhantes, tudo ficará melhor e mais fácil. A verdadeira caridade não é dar dinheiro ou presentes e sim sentimentos puros e verdadeiros que enaltecem a alma.

Aquele que conseguir, pensar mais em seus semelhantes do que em si próprio terá a recompensa de uma vida tranqüila, pois o que provoca tristeza, ansiedade ou angústia, é o egoísmo, a competição exagerada e o vício de achar defeito em todos menos em si próprio.

Dar presentes é muito bom, e contribui para uma atividade comercial forte e importante para o desenvolvimento econômico. Porém não esqueçam que existem valores e sentimentos, que são vitais para tornar uma pessoa feliz, não só numa data, mas durante todo o ano.

Se para o comércio é bom para o bolso, principalmente de quem vive de salários pode ser ruim, pois milhares de pessoas, gastam mais do que podem, fazendo dívidas que vai prejudicar o início do ano, quando tantas despesas se acumulam.

Os compulsivos exageram tanto nas compras que não se contentam em dar uma pequena lembrança. Precisam dar vários presentes para os filhos, para os familiares e amigos, como se a quantidade é que demonstrasse o tamanho de seu sentimentos.

O resultado aparece no decorrer do ano quando os salários não bastam para pagar tantas prestações e manter o padrão de vida familiar. Surgem conflitos familiares, que desarmonizam a vida de todos, impedindo o entendimento e a tranqüilidade familiar, tão indispensável, para a saúde física e emocional.

Planejar o que deseja dar e fazer nas festas de fim de ano é fundamental para evitar gastos excessivos. Presenteie quem desejar, mas sem perder o senso de responsabilidade, mantendo o equilíbrio nas despesas, para não ter que sofrer as conseqüências no ano que inicia.

Não esqueçam que as festas são para serem vividas plenamente, com alegria e entendimento entre todos. Não devem ser usadas, apenas para comprar presentes.

É o momento propício para a busca do entendimento entre familiares e amigos, que se desentenderam durante o ano. Busque a reconciliação. Perdoe. Abrace e diga vamos viver em paz, pois assim teremos saúde, bem estar e prosperidade.

Comprar dá prazer, desde que não comprometa a tranqüilidade pessoal, com sacrifícios extremos para cumprir os compromissos assumidos. Agindo racionalmente é bom para o comércio e também para o bolso

 

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.