29
Nov 12
Viver e Saber

 

Alunos dedicados aos estudos, com talento e inteligência, conseguem concluir o ano letivo, sem maiores problemas, desfrutando de férias por antecipação, em função de boas notas obtidas nas provas, gerando tranqüilidade para os pais.

Por outro lado, alunos que apresentam dificuldades de aprendizado ou problemas de comportamento e postura inadequada na escola, sofrem mais, porque, somente no final do ano, se dão conta de que não estudaram como deveriam os conteúdos repassados.

 

É importante fazer uma diferenciação entre os que tem dificuldades e aqueles que são malandros. Nem todos são dotados para um aprendizado imediato. Precisam de mais tempo para assimilar os conteúdos, que nem sempre são captados como os professores esperam.

Para estes é necessário muita compreensão, pois precisam mais de atenção e afeto do que os demais. Infelizmente a grande maioria dos professores, não estão preparados para entender estas dificuldades. Preferem marcar os alunos como indisciplinados, maus estudantes ou perturbadores das aulas.

É um verdadeiro absurdo, porque fatalmente existem problemas que ainda não foram identificados e que são responsáveis pelo mau desempenho do aluno durante o ano.

É preciso que os pais fiquem atentos e busquem ajuda profissional quando detectarem problemas que fogem do entendimento normal, quando um aluno não consegue tirar as notas que precisa para ir adiante.

Existem profissionais da área médica que aplicam testes, fazem exames e entrevistam pais e alunos para diagnosticarem o problema e buscar soluções.

É melhor buscar ajuda do que ficar fazendo exigências que podem gerar uma baixa auto estima no aluno, comprometendo o seu desenvolvimento de vida.

Por outro lado, existe o grupo dos malandros, que deixam tudo para depois, não fazendo os temas solicitados, estudando somente na hora da prova e demonstrando total desinteresse pelas aulas, que muitas vezes pode indicar também um problema a ser tratado.

Em geral é apenas um problema de comportamento. Pode ser rebeldia diante da responsabilidade que não querem assumir, em relação aos estudos. Isto pode representar uma falta de maturidade, diante da idade que tem por não querer assumir responsabilidades diante da vida.

O problema, entretanto, pode estar ligado aos pais, que não assumem uma postura de exigir comportamento adequado dos filhos diante dos estudos. São liberais demais, permitindo que os filhos façam o que quiserem sem cobrar resultados.

Os jovens precisam de orientação firme, por parte dos pais, até atingirem a fase adulta. O exemplo de casa, onde não há horários estabelecidos, nem mesmo normas a serem seguidas, fatalmente fará os filhos perceberem, que podem fazer o que quiserem.

Isto é negativo e compromete uma boa formação. Por isso é importante que cada um cumpra o seu papel, na família e na escola, para que os jovens possam estudar e cumprir com suas obrigações, desde muito cedo, para se tornarem adultos bem realizados na vida.

Para os jovens que encaram o ano letivo, desde os primeiros dias com seriedade,o ano terminará mais cedo podendo curtir as férias, sem a preocupação, em fazer provas de recuperação que, em geral, causam um grande desgaste.

Para aqueles que já estão de férias boa sorte e aproveitem bem. Para aqueles, que por um motivo ou outro negligenciaram os estudos, aproveitem as últimas chances para não perder o ano e aprendam a lição para o futuro.

 

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.