21
Nov 12
Viver e Saber

Praticamente 100% das pessoas quando perguntadas sobre o que é mais importante em suas vidas respondem que é a boa saúde e a família. Elas estão certas, porque sem saúde nada funciona bem. A família é o refúgio, o apoio incondicional, que a grande maioria tem, para toda a vida.

O estresse , as tristezas, as ansiedades, as angústias, são amenizadas quando as pessoas encontram apoio através de seus pais, irmãos, esposas, maridos, filhos e demais parentes, que por terem sentimentos profundos de amor e compreensão ajudam muito nas horas difíceis por que todos passam. De todos os amores que existem o mais importante, sem dúvida alguma é o amor de mãe para um filho. Elas não medem esforços nem sacrifícios para verem seus filhos bem, sem problemas, chegando a esquecer de si próprias, quando sua prole tem problemas, pois tudo fazem para livrá-los de qualquer mal.

Os pais, bem mais pragmáticos, também se doam muito aos filhos, de uma forma diferente, dispostos a orientar, mostrar caminhos, exigir responsabilidades e muitas vezes fazer cobranças, que acabam criando pequenos conflitos entre o casal.

Estes conflitos tiram a tranqüilidade, pois em geral os homens se sentem preteridos pelas mulheres, mesmo sabendo que seu competidor é seu próprio filho. Atritos permanentes surgem, entre o casal, sempre que a mãe interfere a favor dos filhos, contrariando o pai,mesmo quando eles já não são mais crianças.

Algumas mães para não dizer muitas, continuam agindo de mesma maneira, mesmo quando os filhos casam e passam a ter casa e vida própria. Surge, então outros personagens na relação, que são as noras e os genros que não toleram esta intervenção. A discórdia e as antipatias se salientam e mais uma vez os conflitos acontecem e a tranqüilidade familiar deixa de existir.

Também acontecem muitos conflitos entre irmãos, que nutrem antipatias pessoais entre si causando sofrimento aos pais e discórdia na família, muitas vezes gerando conflitos de difícil solução. Esta situação é muito complicada para os pais que não podem tomar partido de nenhum dos filhos.

Como nenhuma família gosta de expor seus problemas e dificuldades dificilmente alguém pode ajudar, a não ser que um profissional especializado seja procurado e passe a orientar a todos para encontrarem o caminho da reconciliação.

Todas estas situação acontecem, em maior ou menor grau em todas as famílias. São verdadeiras exceções aquelas que vivem em plenitude, onde o amor e o entendimento prevalecem.

Mesmo com todas as dificuldades as famílias continuam sendo o refúgio e o amparo para todos. Viver em família, mesmo com algumas dificuldades, ainda é a organização que melhor funciona.

A base de toda a organização familiar deve ser o respeito e o amor. Com isto nenhuma discórdia acontece. Impor limites aos filhos, desde muito cedo, faz com que se tornem jovens e adultos, conscientes de seu papel na família.

Para que isto aconteça é importante haver diálogo, permanente, entre todos os membros da família e ao mesmo tempo fazer com que todos participem democraticamente das decisões familiares, para que se sintam participantes, respeitando sempre as posições dos pais, responsáveis pelas organização familiar.

Busque sempre o amor e o entendimento e impeça que a discórdia se estabeleça pois ela abre caminho para doenças, comprometendo a saúde e a tranqüilidade familiar.

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.