13
Ago 11
Viver e Saber

A comemoração do dia dos pais é o reconhecimento ao esforço, feito por eles, para dar o melhor que podem em educação, orientação e condução na vida de seus filhos.

 

É uma justa homenagem para aqueles que, com abnegação e com alegria, trabalham arduamente para ganhar o suficiente para garantir as necessidades básicas de suas famílias.

Qualquer pai sabe o quanto precisa trabalhar e se dedicar para educar bem seus filhos. Mas fazem isso com prazer, pois o resultado sempre compensa qualquer esforço, mesmo que envolva valores significativos.

Criar um filho é um desafio e um orgulho para qualquer pai, que deseja garantir a sua descendência. Quando o resultado da criação é positivo a alegria é potencializada. Quando o contrário acontece, mesmo assim ele socorre e busca novos caminhos para que o filho possa seguir.

Ser pai é tão nobre , quanto ser mãe. Nos dias de hoje, com as mudanças que ocorreram na sociedade, os pais tem destacado papel na criação dos filhos. Colaboram em todos os aspectos. Trocam fraldas, acordam a noite para dar mamadeira, levam na pracinha para brincar, enfim demonstram total comprometimento.

É comum ver pais empurrando carrinho nos shopping centers, enquanto as mães fazem suas compras ou descansam. É um belo exemplo de parceria, pois ambos são responsáveis pelo filho que colocaram no mundo.

Os pais modernos são completamente diferentes dos pais antigos, quanto aos cuidados com os filhos. Eles tem um envolvimento, praticamente igual ao das mães e não é difícil encontrar pais que cuidam sozinhos de seus filhos.

Os pais antigos não participavam da tarefa diária de cuidados rotineiros. Isto era tarefa da mulher. Eles garantiam o sustento e as coisas materiais que eram necessárias. Mantinham uma distância e determinavam o que precisava ser feito, mas a ação ficava por conta das mulheres. Garantiam os recursos e acompanhavam de perto os progressos. Dificilmente um pai era visto fazendo um carinho nos filhos. Para eles, talvez em função da época, isto representava uma fraqueza e ao mesmo tempo um medo em perder a autoridade que faziam questão de demonstrar que tinham.

Com a evolução dos tempos, as distâncias foram se encurtando. Os homens passaram a demonstrar os seus sentimentos com mais espontaneidade. Os filhos foram beneficiados pois passaram a ter pais mais próximos e menos inseguros com relação a seus sentimentos.

O que ficou para todos aqueles que tem mais idade é o exemplo daqueles pais, que se por um lado eram tímidos em carinho, por outro eram grandes exemplos de honradez e dignidade. Os pais antigos, na sua grande maioria, faziam questão de dar bons exemplos e isto era tão importante quanto demonstrar carinho. Todos os filhos desta época recordam sempre de seus pais, com muito respeito e os citam como exemplo de suas vidas, porque tinham limites e sabiam que não podiam ultrapassá-los.

Os pais de hoje usufruem muito mais deste período, pois vivem intensamente, desde a gestação até o nascimento do nenê. A partir daí são protagonistas como as mães, acompanhando e participando ativamente das inúmeras tarefas que são exigidas dos pais, até o filho se tornar independente.

Tanto os pais antigos quanto os de hoje tem uma grande responsabilidade que é orientar, prover e dar o exemplo de como ser uma pessoa decente na vida. Não devem ter medo ou insegurança em colocar limites, pois a vida é assim. Todos tem limites, seja na vida pessoal quanto na profissional.

Aquele filho que percebe a fragilidade dos pais, abusa e se torna um dependente que mais tarde não saberá buscar sozinho o que precisa. Os pais tem todo o direito de proporcionar o melhor a seus filhos, mas sempre observando que a contrapartida deve existir para o bem deles próprios.

Sem respeito aos pais e a sociedade, nenhuma relação terá êxito.

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.