09
Set 12
Viver e Saber

Caligrafia (do grego(kalli) beleza (graphe)escrita. A caligrafia como era ensinada nas escolas do passado era uma manifestação artística dos alunos, que eram ensinados a escrever com precisão e beleza, desenvolvendo traços harmoniosos.

Nos tempos modernos, apesar de muitas escolas, tentarem praticá-la nos primeiros anos escolares, nem de longe, segue o mesmo padrão e exigência que vigorava, pois ela era exigida diariamente nas salas de aulas.

 

Se a palavra caligrafia encerra o conceito de beleza da escrita, por que as escolas não aproveitam e a utilizam como aula de arte, ensinando e orientando os alunos a desenvolverem a habilidade de escrever com perfeição?

A resposta está ligada a tecnologia, onde a digitalização predomina e a pressa com tudo que é feito nos dias de hoje, não prioriza o fazer bem feito. O resultado tem sido pessoas com grande dificuldade para escrever legível, o que dificulta o entendimento.

É impossível frear o desenvolvimento, nem é isso que deve ser feito, mas não dá mais para ignorar que cada vez mais se escreve menos e pior, não só em conteúdos, mas principalmente em legibilidade.

Isto faz com que pessoas que fazem provas e concursos, ainda pelo sistema antigo, tenham grandes dificuldades para escrever durante horas a fio. Precisam tomar todos os cuidados, pois sabem que se não forem entendidos poderão perder pontos e não serem classificados.

Já é notícia o fato de escolas estarem surgindo nos diferentes estados brasileiros cujo objetivo é ensinar a caligrafia, tentando resgatar algo que poderia ter sido feito nos primeiros anos escolares, como era feito antigamente.

Por que ignorar que a caligrafia é importante para todos os indivíduos?

Por que as escolas passam por cima disso como se não fosse uma coisa importante?

Por que tanto descuido com algo tão importante para a vida?

Por que as escolas antigas, com o mesmo tempo de aula dos dias de hoje, conseguiam ensinar tantas coisas, que jamais foram esquecidas?

Por que priorizavam o essencial. Repassavam conhecimentos para que nunca mais fossem esquecidos. As provas eram mensais e sempre nos últimos dias do mês, para não atrapalhar o desenvolvimento normal das aulas. Hoje muitas escolas despendem vários dias e horários fazendo provas parciais, trimestrais, semestrais, como se fazer prova é o que ensinasse os alunos.

Este é mais um motivo da fragilidade que se encontra no aprendizado dos alunos, que em função de tantas provas, memorizam os conteúdos, apenas para tirar uma boa nota e passar, sem a preocupação em aprender para a vida. É preciso refletir sobre isso. Ainda é tempo de corrigir e voltar a priorizar o ensino de qualidade. Para isso escolas e professores precisam rever suas posições.

Os exemplos dos países que são exemplo em educação estão disponíveis para todos quantos desejarem fazer algo semelhante. Em todos eles, citando como exemplo a Coréia do Sul e a Finlândia, a prioridade absoluta recaiu sobre a formação dos professores, incluindo a valorização da categoria, o status que desfrutam na sociedade e o aprendizado continuado.

O resultado é que hoje figuram nos primeiros lugares em educação, entre todos os países do mundo, tendo conseguido, através da melhoria da educação, resultados econômicos surpreendentes que trazem benefícios a seu povo.

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.