04
Mai 12
Viver e Saber

A violência que assola o Pais de norte a sul é conseqüência da perda de valores morais, da falta de uma educação de qualidade e da pobreza.  Um grande percentual de brasileiros, vive em condições de miséria, sem ter muitas vezes o que comer, sentindo raiva e rancor pela sociedade que não supre suas necessidades básicas.

Ai surge a violência, como uma manifestação de indignação contra tudo e todos. Por isso é preciso resolver os problemas sociais do Pais, gerando condições de vida favoráveis, onde as pessoas possam trabalhar e garantir o sustento de seus familiares.

Logo a seguir deve vir a escola, com ensino de qualidade, valores morais consagrados no mundo, alimentação adequada para todas as crianças nas escolas, que devem ser de tempo integral, para que além do ensino formal recebam conhecimentos em arte, gastronomia, cuidados com o meio ambiente e principalmente afeto.

É preciso afastar as diferenças valorizando a inteligência e respeitando o tempo de evolução de cada um, sem discriminação entre os que são privilegiados por uma inteligência brilhante e os que apresentam dificuldades de aprendizado. Todos precisam ter vez e serem orientados naquilo que suas habilidades possam fazer com que sejam bem sucedidos. Enquanto não houver sensibilidade para perceber isso e mudar, haverá violência, que infelicita a vida de todos.

Para quem sofre a violência, em geral pessoas trabalhadoras, que lutam para ter acesso aos produtos de consumo, quando perdem o que conseguiram  através de um seqüestro relâmpago é um tormento e ao mesmo tempo uma agressão que deixa marcas profundas. Para quem perde um familiar, num assalto é um sofrimento que nem o tempo consegue apagar.

Para aquele que praticou a violência, em geral drogados ou maus elementos, não porque quiseram ser assim, mas pela ausência de uma boa educação e falta de oportunidades, ver alguém ter um carro e andar bem vestido, significa que é um potencial para tirar alguma vantagem, pois para ele que não tem nada, o pouco que vê no outro significa riqueza. Não tem nada a perder. Isto é muito triste.

O aumento da população no mundo, onde cada um acha que pode fazer o que quiser, sem respeitar o direito do outro, fez surgir um novo tipo de vida, onde muito poucos respeitam valores morais, principalmente respeito ao seu semelhante e consideração pela vida humana.

O modelo econômico existente, a concentração de riquezas nas mãos de poucos e as injustiças sociais, precisam ser repensados. Falta dinheiro para a educação e a saúde, mas tem para fazer estádios de futebol e outras coisas que fazem pensar porque o que é essencial não é priorizado.

A notícia mais divulgada ontem foi a venda do quadro O GRITO do pintor norueguês Edvard Munch que foi arrematado num Leilão promovido pela Sotheby’s de Nova Iorque por 120 milhões de dólares. Sou apreciador de arte mas entendo que esse dinheiro poderia ajudar a minimizar a fome no mundo, mas isto talvez nem passe pela cabeça do investidor. Há pouca sensibilidade para ajudar a resolver os problemas sociais do mundo e muita para demonstrar riqueza e poder.

Com isso a violência toma conta e a sociedade sofre as conseqüências de suas próprias escolhas. Não seria melhor priorizar a saúde, a educação e garantir uma vida digna para todos, suprindo as necessidades básicas das pessoas?

Comentarios (1)

RSS Comentario Feed
...
0
Tanto no tocante a educação como a necessidade moral das famílias, infelizmente vimos a cada dia perderem-se no espaço de tempo e na maioria sem voltas ou mesmo com voltas sequeladas. Se cada um daqueles que vivem em condições melhoradas tentasse fazer um pouquinho, acredito ainda conseguiríamos salvar alguns pelo menos é o que eu ainda acredito.
sandra , maio 14, 2012

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.