09
Fev 12
Viver e Saber

Muitos alunos em diferentes partes do Brasil, já voltaram as aulas. É um momento de expectativa, de alegria por rever os colegas, de conhecer os novos professores, mas também de preocupação com novos conteúdos.

 

Os professores também renovam suas expectativas em receber os alunos que já conhecem, mas que a cada ano voltam diferentes, com os novos alunos e principalmente com aqueles que tem dificuldades e causam maior preocupação em acompanhar os demais.

É um novo desafio, que exige atenção, esforço e talento para inovar e sair da mesmice, que normalmente é responsável pelo desinteresse que muitos alunos demonstram, logo nos primeiros dias de aula, ao perceberem que nada de diferente, de atrativo está acontecendo.

São inúmeros os exemplos de escolas pelo mundo a fora que estão introduzindo novos métodos de ensino, todos eles privilegiando a interatividade, para que os alunos se sintam participantes e tenham prazer de ir para a escola e vontade de estudar.

Para que isso aconteça, os professores precisam rever seus conceitos sobre a maneira de ensinar e exigir que os alunos fiquem estáticos durante as aulas, sem mobilidade, apenas ouvindo aulas expositivas que na maioria das vezes se tornam chatas e cansativas.

É preciso inovar, colocar temas para discussão, ensinar através de projetos que exijam a participação efetiva dos alunos.

Esquecer a pressa em vencer conteúdos e ter a certeza de que a base foi bem absorvida para que o aluno tenha condições de entender a seqüência mais difícil que virá. O aluno que não entende os primeiros conteúdos, não conseguirá acompanhar o restante e como conseqüência perderá o interesse pela aula e pela matéria, ocupando seu tempo em aula para perturbar.

Cada aluno tem as suas características e dificuldades. Caberá ao professor identificá-las e ter a preocupação de ajudar aqueles que mais precisam, mesmo que tenha que repetir várias vezes, mas de forma diferente, até ter certeza de que o aluno assimilou o conteúdo dado.

Os jovens, hoje, são muito mais ativos em função do acesso a informação via WEB que eles dominam. São mais exigentes e querem pesquisar, pois é isto que os encanta na internet. Não aceitam mais ficar ouvindo um professor falar o tempo todo sem parar e sem exigir a participação da turma.

Muitas descobertas tem sido feitas através da neurociência que orienta para que os professores saibam reconhecer potencialidades e dificuldades, caso contrário seu esforço será em vão. Está provado que o aluno consegue memorizar somente aquilo que mexe com a emoção. Para que isto aconteça numa aula tradicional, expositiva é preciso que o professor tenha uma habilidade especial em comunicação, o que nem sempre isto acontece. Então é preciso ser criativo buscando novas maneiras de repassar conteúdos.

Visando contribuir para a melhoria do ensino o site www.viveresaber.com.br estará lançando a partir de março o curso online PROFESSOR DO FUTURO.

O método lançado por Howard Burrows e seus colegas no Canadá denominado APRENDIZADO BASEADO EM PROBLEMA, é sucesso em diversas faculdades e escolas de ensino fundamental e médio.

Ele propõe interatividade no aprendizado, fazendo com que alunos pesquisem, discutam em grupos e façam apresentações em aula, com a solução do problema apresentado pelo professor, que passa a ser orientador motivando e fazendo com que todos participem, tornando a aula dinâmica e interessante.

É um novo desafio que precisa ser testado.

 

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.