18
Jan 12
Viver e Saber

É surpreendente ver atitudes inconvenientes de pessoas que demonstram ter bom poder aquisitivo, em função do modelo de carro que possuem, mas sem nenhum receio de dizer um palavrão ou fazer gestos obscenos por coisas insignificantes.

 

Os problemas do trânsito são de conhecimento de todos. O poder público não consegue manter uma malha viária, que faça fluir o tráfego de veículos de forma ordenada, sem engarrafamentos, em função do traçado estabelecido que afunila em diversos pontos ou mesmo de acessos que vão surgindo a cada dia.

O aumento do número de carros é surpreendente. Há algum tempo atrás as famílias tinham um carro que atendia as necessidades familiares. Hoje, cada membro da família tem o seu carro. Isto é positivo, pois demonstra melhores condições financeiras. Por outro lado exigem mais espaços para circular e para guardar os veículos o que gera problemas.

O que mais preocupa é o número de mortes e de pessoas que ficam inválidas. Muitas são as causas e nem sempre a culpa é do condutor. Muitas vezes a fatalidade ocorre, mesmo com pessoas que são conscientes e que dirigem com cuidado.

Entretanto existem aqueles que não irresponsáveis e que dirigem embriagados, outros que dirigem sem habilitação e muitos outros que usam a velocidade como demonstração de força e de poder, como se estivessem acima do bem e do mal.

Estes precisam ser educados para viver em sociedade. Precisam entender que respeitar os outros é dever de cada um. Precisam readquirir valores importantes e fundamentais, como respeitar o direito dos outros e não só fazer valer os seus, reaprender a deixar o outro passar, pois um minuto não vai alterar em nada a vida de ninguém, sair um pouco antes, para não ter que andar em alta velocidade em ruas, onde muitos outros disputam lugar, seja com carros ou mesmo pedestres que precisam andar pelas ruas.

Educação é a palavra de ordem. Os pais precisam dar o exemplo dirigindo com atenção e respeitando o próximo, pois os filhos estão com eles, desde pequenos, e farão a mesma coisa quando dirigirem. O exemplo vale mais do que mil palavras.

As escolas precisam incluir em seus currículos palestras educativas para o trânsito, visando educar os jovens, que serão os motoristas do futuro, para que dirijam com cuidado e respeitem os demais.

É preciso uma ação integrada, visando campanhas permanentes e formação escolar, desde os primeiros anos nas escolas, para ter um futuro promissor, com pessoas educadas e sensatas conduzindo veículos.

Pessoas educadas respeitam, dão passagem, sabem esperar, não jogam papel nas ruas, não dizem palavrão, não dirigem embriagados, não andam em alta velocidade, e muito menos, agridem ou ferem os seus semelhantes.

Comentarios (2)

RSS Comentario Feed
O Trânsito e a falta de educação de muitos motoristas.
0
Concordo plenamente com este texto... é isso ai continuirei com essa idéia.
Luciano Nascimento Brito , dezembro 01, 2012
Um burro
0
um burro é um burro
julia , abril 07, 2013

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades


.