18
Set 11
Viver e Saber

O ministro da Educação Fernando Haddad anunciou o início dos debates para ampliar o tempo de permanência dos alunos na escola.

 

O que precisa ser discutido é a qualidade desta permanência na escola. Simplesmente aumentar o tempo de permanência, só vai criar mais insatisfação, tanto dos alunos quanto dos professores.

É preciso sim um grande debate envolvendo todos os aspectos que afligem os agentes envolvidos com o ensino. Os professores são mal remunerados, não recebem treinamento adequado para se atualizar, não dispõe de meios de comunicação modernos para poder dar uma aula.

Os alunos, em sua grande maioria, habituados com computador, ainda enfrentam uma sala com quadro verde e giz. Dominam a tecnologia e são obrigados a trabalhar com o papel, pois as escolas, com raras exceções estão equipadas com a moderna tecnologia.

O que precisa ser discutido é: As escolas estão preparando os alunos para as exigências do futuro?

A resposta é não. Os professores continuam dando aulas como no passado. Aulas cansativas que fazem com que os alunos não sintam prazer de ir para a escola. A modernidade precisa chegar ao ensino. O aluno precisa ter alegria e sentir prazer em estudar.

Para que isso ocorra será preciso criar um clima muito favorável nas escolas, para que eles desejem permanecer lá. O caminho é a utilização do computador e da Internet em sala de aula.

Os métodos de ensino estão desatualizados. Ainda se privilegia o cálculo manual, quando isto é feito em segundos pelo computador. Por que não mudar e ensinar como chegar ao cálculo usando uma tecnologia que está disponível e que foi fruto de muita pesquisa para descobri-la. A própria escola ignora o que a pesquisa cria. Isto precisa mudar.

É preciso rever os currículos escolares. Matérias como história, Geografia podem ser estudadas integralmente através da Internet. Porque precisa ocupar o lugar que poderia ser dedicado ao ensino da matemática e de línguas estrangeiras, estas sim matérias indispensáveis para qualquer profissão. O futuro exigirá cada vez mais relacionamentos com diferentes países e culturas. Nossos jovens precisam sair da escola aptos a se comunicar com o mundo globalizado.

As escolas precisam ser sim em tempo integral. Porém é preciso introduzir o esporte nos currículos escolares. Não apenas aulas de educação física, uma vez por semana, mas um programa esportivo que envolva os alunos em diferentes modalidades, selecionando os talentos para se desenvolverem cada vez mais. Isto sim fará com que o aluno tenha prazer em ir para a escola.

É preciso, cada vez mais interatividade e menos imposição.

Apenas aumentar o número de dias ou de horas, sem alterar currículos e melhorar a permanência do aluno na escola, só trará contrariedade e mais problemas, tanto para a escola quanto para os professores. A formação dos jovens, identificando as diferenças e dificuldades, de cada um, precisa ser considerada.

Na verdade o que precisa aumentar e melhorar muito são a qualidade do ensino e a comunicação na escola, entre direção, alunos, professores e pais. É preciso formar os jovens com o olhar para o futuro, assimilando o que a tecnologia pode fazer para torná-lo apto a ser um profissional cada vez mais qualificado. Isto é um trabalho da escola e deve ser uma exigência dos pais, caso contrário estaremos formando pessoas para que?

É urgente a necessidade da melhoria da qualidade do ensino, mas isto não quer dizer que seja resolvido simplesmente aumentando o número de dias ou horas na escola. O pacote precisa vir completo.

Adelino Cruz

Jornalista e professor

Comentarios (0)

RSS Comentario Feed

Escreva seu Comentario

smaller | bigger

busy

Receber Novidades



Curso: PERCA O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO + MARKETING PESSOAL

Curso: COMO FECHAR MAIS VENDAS E FIDELIZAR CLIENTES

Curso: FORMAÇÃO GERENCIAL